Contactos
Serviços

O apoio que prestamos

O apoio de ajuda emocional promovido pela SOS VOZ AMIGA é realizado por cidadãos que receberam formação adequada e pretendem contribuir para uma maior coesão social através de uma atitude solidária e centrada na prestação da ajuda.

A linha SOS Voz Amiga está integrada na IFOTES - Federação Internacional dos Telefones de Ajuda (www.ifotes.org) e os voluntários obrigam-se a respeitar as suas normas: confidencialidade, duplo anonimato (do apelante e do voluntário), não julgar nem pressionar, despir-se de preconceitos, aceitar a diferença, recusar-se a exercer qualquer pressão religiosa, política ou ideológica, submeter-se a seleção e formação adequada.

O tipo de ajuda prestada

A confidencialidade é um dos pilares que norteia a atuação da SOS VOZ AMIGA, preocupada em preservar, entre outros, os seguintes princípios:

  • O respeito pelas diferenças das pessoas em sofrimento;
  • O rigoroso anonimato (de quem telefona e de quem atende); 
  • O saber escutar, com atenção, compreensão e respeito;
  • O saber criar uma relação de empatia.

Quem procura o nosso apoio pode entre muitas situações:

  • Partilhar os problemas com alguém desconhecido, que não julga, mas ouve, e se sente, nesse momento, responsável pelo outro, devolvendo-lhe a confiança em si próprio;
  • Encontrar pessoas que aceitam falar das ideias de morte, permitindo eventualmente afastar a ideia de suicídio.

Quem presta ajuda

Na SOS Voz Amiga a ajuda é prestada por um conjunto de pessoas – os Voluntários – mulheres e homens, de todas as idades, crenças, estratos sociais, culturais, económicos ou profissionais que, sem remuneração, que se organizam e disciplinam para um trabalho especializado de ajuda não profissional. Submetem-se a seleção e formação iniciais e recebem de forma continuada apoio e supervisão por técnicos da área da saúde mental.